5 de julho de 2005

REVIEW
Blade Pack

Andava eu a limpar o pó às estantes da FNAC do Chiado, quando me
deparei com o dito. Os dois primeiros Blades por 10€. Levado por um impulso coleccionista de filmes de merda, mas que até estão bem feitos, comprei o belo do pack e vim para casa rever os ditos opus do "Diurno", para justificar o investimento. E porque os comprei, pergunta o incauto visitante, enquanto rapa as pernas? Porque os "slash-movies" têm um elevado grau de "replayabilty". Ou, por outra, dão para ver e voltar a ver...

Pouco mais há para dizer sobre os filmes que já não se saiba. Se o Blade de Stephen Norrington se baseia numa história mais sólida (se é que há disso em filmes de vampiros...), onde nos é apresentado o "Diurno", as suas motivações e o mau mais mau do que os mau-maus, a continuação de Guillermo del Toro é muito mais negra, violenta e non-stop, com predominância de ambientes nocturnos e escuros, como discotecas ou esgotos, e uma nova estirpe de vampiros, que leva Blade a uma aliança insuspeita.
Wesley Snipes está perfeito para o papel: duro, implacável, mordaz e pouco cerebral. Uma espécie de Vin Diesel, mas um bocado melhor. É daqueles papeis que levam a que, quando se vá na rua, se diga: "Olha, ali vai o Blade...".

Em resumo, dois bons filmes para ver e esquecer logo de seguida (e para rever alguns meses depois...).

O melhor: A violência (brutal, em ocasiões) e a solidez da acção.

O pior: Cria teias de aranha no cerebelo.

Classificação: 7/10

2 comentários:

CHV disse...

Simplesmente belíssimo!
Grande conceito que aqui criaste!
Muitos parabéns!

Sandra disse...

adorei os dois blades....o wesley faz uma papel fantástico frio a torto e a direito....
aliás di segundo para dispersar um pouco o nervoso em relação aos vampirinhos, soltei um pensamento alto de mais q o cinema td ouviu, pusa uma salita de cinema a rir...mas da minha cara.