11 de agosto de 2005

REVIEW
The Woodsman

Walter é um pedófilo condenado a 12 anos de prisão por molestar raparigas.
Entretanto libertado, procura recomeçar a vida numa nova cidade e num pequeno apartamento. Arranja um emprego e uma amiga em Vickie, uma mulher dura, com quem acaba por se envolver.
No entanto, sofre as desconfianças do seu cunhado, que volta e meia o vai visitar, a rejeição da sua irmã e o "assédio" de um polícia local, encarregado de vigiar a sua liberdade condicional, mas que não acredita verdadeiramente na redenção de Walter.
Entretanto, o mesmo torna-se amigo de uma pequena menina e tem que enfrentar todos os seus demónios, que ameaçam ressurgir a qualquer instante.

Este é um filme poderoso, que não pode ser visto de ânimo leve e que retrata um tema que, ao que sei, nunca tinha sido antes focado no cinema: a pedofilia.
Kevin Bacon deve ter tido uns grandes "cojones" em aceitar este papel onde, sinceramente, está como peixe na água, pois encarna na perfeição a personagem, constantemente lembrada e consciente dos pecados cometidos mas, por outro lado, dilacerada pelos mesmos, e com uma vontade real de se reabilitar. Pelo caminho, tem que sofrer a natural raiva da sociedade que o rodeia, incapaz de compreender a selvajaria irracional da pedofilia.

É um papel que domina o filme, como é óbvio, e que deixa muito pouco espaço para os actores secundários, que têm apenas pequeníssimos pontos para brilhar. Interessa mesmo é traçar o perfil psicológico de Walter, mas sempre sem parcialismos, ou seja, não se pretende desculpar o homem e os seus actos, mas também não se quer cortar as pernas á sua necessidade e esforço de reintegração numa sociedade que o detesta.
E é nisso que o filme triunfa, na tremenda densidade psicológica que empresta ao carácter de Walter, na caracterização psicossomática da mente de um pedófilo e nos passos que toma rumo à tentativa de redenção, lutando constantemente contra os diabos internos, luta essa bem patente nas conversas com a sua pequena amiga ou na forma como observa outras crianças.

Complexo e difícil de digerir, mas um filme com substância.

O melhor: Kevin Bacon a dominar. A densidade psicológica do personagem.

O pior: Não há nada verdadeiramente excelente neste filme, mas também não há nada de muito mau que salte á vista...

1 comentário:

Sandra disse...

então é mais um bom filme a juntar á lista de Kevin Bacon. Dos filmes que já vi com ele, não tenho nada de que me queixar, é um excelente actor....

Lembrei-me agora, ele fez o "Hollow Man", filme não foi nada de especial logo ele não teve uma exibição que dê nas vistas.
"The Woodsman" é um filme para pôr na minha lista.