13 de agosto de 2005

REVIEW
Mr. and Mrs. Smith

Ano: 2004
Realizador: Doug Liman
Actores: Brad Pitt, Angelina Jolie

Aí está o blockbuster de Verão. Ou seja, o típico filme pipoqueiro cheio de fogo de artifício mas com pouca substância, apenas para gente que não gosta de pensar muito enquanto vê um filme.

John Smith e Jane Smith são o casal mais enfadonho do mundo. No seu dia a dia, discutem merdas tão banais como as ervilhas na comida, o tempo que fez nesse dia ou quem vai pôr o lixo. Mas são também os assassinos mais mortíferos do mundo, a trabalhar em agências opostas, o que também escondem um do outro. Só o saberão quando a próxima missão de cada um... for o outro!

E pronto, está dito. Não fosse a química entre Brad Pitt e a quentíssima Angelina Jolie e este filme desceria até à mais profunda camada de merda pré-histórica de esgoto. Doug Linam já mostrou ser um realizador competente com o excelente Bourne Identity e o esquecido Go e aqui esmifra-se todo, até lhe saltarem as veias da testa como quem tenta enviar um fax após 3 dias de prisão de ventre, para espremer o sumo ao parco argumento que lhe foi entregue. Mas não dá para mais.

É um filme rotineiro, que apenas se deixa ver pela força dos actores que tem. Porque, de resto, tem cenas brutalmente ilógicas (perseguições que "esperam" pelas discussões conjugais dos protagonistas, p.e) , partes enfadonhas, a acção é mediana, Brad Pitt faz de conta que tem piada (que até tem alguma, confesse-se, principalmente quando malha desastradamente no jardim) e até a propalada cena de sexo entre os protagonistas foi cruelmente assassinada por esse corja de merdosos falsos moralistas e hipócritas que constituem a MPAA (Movie Picture Association of America). Ou seja, da Angelina... só um vislumbre de uma coxa et c'est tout. Ide antes ver o Original Sin ou o Taking Lives para esfreganços mais elaborados da dita com o Antonio Banderas e o Ethan Hawke, respectivamente...

O melhor: A química e alguns diálogos.

O pior: O argumento, esticadinho, a acção, a cena na estrada, a cena final, a cena de sexo (que não se vê), certas bizarrias e a previsibilidade.

1 comentário:

Sandra disse...

Hummm, então quer dizer que segundo a tua prespectiva o meu palpite estava correcto... não perdi nada em ir ver o filme. Sinto-me uma pouco mais aliviada pois não perdi os 3,70€ num bilhete...pode ser pouco mas para quem está a trabalhar e não recebe é muito.

jokas