18 de setembro de 2005

REVIEW
American History X

Ano: 1998
Realizador: Tony Kaye
Actores: Edward Norton, Edward Furlong

Talvez já tenham visto este filme passar num qualquer canal. Talvez não. Mas é preciso que se faça justiça a um dos mais poderosos filmes, senão - o mais poderoso e brutal - que já assisti. E a "review" do Crash feita anteriormente é um excelente pretexto.

Derek Vinyard (Edward Norton) é um neonazi condenado a vários anos de prisão por ter morto barbaramente dois negros à porta de sua casa. O seu irmão mais novo, Danny (Edward Furlong), é um fervoroso adepto e seguidor de Derek, pretendendo seguir-se as pisadas.
No entanto, quando Derek sai da prisão, é um homem diferente, mudado e Danny pretende saber o que lhe aconteceu lá dentro.

E mais não digo, pois asseguro-vos que, por detrás desta sinopse que vos poderá fazer dizer "Já vi merda igual umas 50 vezes", está um filme absolutamente genial, arrebatador, poderoso, brutal e incomensurável, que faz conviver ódio e medo rumo à descoberta de um novo ser, de uma forma magistral e estupidamente bem filmada.

O filme segue a "ascensão" de Derek até ao topo da cadeia neonazi da sua zona, em "flashbacks" ironicamente filmados a preto e branco, e prossegue com os eventos que levaram à sua prisão e os da consequente permanência no estabelecimento, assim como as causas da erupção da sua ideologia nazi, devidas a um drama familiar.
Depois, a saída de Derek, a sua mudança e as explicações... e um final tão bombástico, e até lógico, mas que se torna difícil de digerir, pela brutalidade com que irrompe no écran.

Edward Norton está sublime, absolutamente arrebatador, sendo este, sem qualquer dúvida, o seu melhor papel, e um dos melhores, para mim, de sempre, de toda a história. Edward Furlong não destoa (longe, longe disso), como o jovem irmão obstinado e destinado a seguir-lhe as pisadas e a ideologia.

Em resumo, um filme sobre ódio e sobre amor para com o próximo que não deve ser perdido sob nenhum pretexto!

"We are not enemies, but friends. We must not be enemies
Though passion may have strained, it must not break our bonds of affection.
The mystic cords of memory will swell when again touched, as surely they will be by the better angels of our nature".

O melhor: Edward Norton! Os flashbacks, o desenvolvimento, o final de fazer cair o queixo.

O pior: Nada.

Classificação: 10/10

1 comentário:

Sandra disse...

Palavras para quê quando já foi dito tudo.
É um filme realmente fenomenal em tudo...para aleém do desempenho fenomenal dos actores, escusado será dizer da transformação radical do Edward Norton, pois o gajo é um enfasadito e neste filme parece um brutamontes.

Dentro da minha lista de filme favoritos este está no top.
Beijos
Sandra