23 de outubro de 2005

REVIEW
Charlie and the Chocolate Factory

Image hosted by Photobucket.comAno: 2005
Realizador: Tim Burton
Actores: Johnny Depp, Freddy Highmore

Ao que sei, esta obra é baseada num qualquer livro que nunca ouvi falar. Mas também não interessa, porque quem vê uma obra de Burton, já sabe ao que vai.
Charlie é um puto pobre até mais não, que vive numa casa torta como a Torre de Pisa numa rua onde está sempre a nevar e onde, no fim da mesma, mora a maior fábrica de chocolate do mundo, governada pelo enigmático Willy Wonka (Johnny Depp). Este construiu a referida com o genuíno intuito de adocicar as bocas das crianças de todo o mundo com produtos revolucionários (como o gelado que nunca derrete). No entanto, espiões roubaram as receitas e um Wonka desiludido com a maldade humana "eliminou" toda a mão de obra, produzindo o seu chocolate por meios desconhecidos durante anos.

Até que 5 crianças sortudas ganham, através de um bilhete mágico, uma visita à fábrica de Wonka, onde poderão fazer a "guided tour" aos meios de produção dos vários e inovadores doces. Apenas a mais pura poderá ganhar um prémio inimaginável...
Entra em cena uma caracterização convenientemente estereotipada: a criança mimada, a gulosa, a ambiciosa, a prepotente... e Charlie, o menino pobre mas de coração impoluto. Todos são eliminados de formas sarcásticas que realçam a podridão dos seus carácteres, com a referida eliminação a ser "acompanhada" com uma música dos Oompa Loompas (vejam o filme para saberem quem são, não estão à espera que vos conte tudo!) que vai desde o disco ao pop, passando pelo hard rock.

Tim Burton é uma criança grande. Tem que ser. Só assim se justifica este delírio que dirige, a juntar ao seu já longo rol de obras estranhas.
Aqui passa-se da cabeça e realiza aquela que é, se calhar, a sua obra mais surreal, que agradará sobretudo aos gulosos, pois a quantidade industrial de chocolate que jorra em cada plano da fábrica fará correr rios de saliva babosa das bocarras dos referidos e sôfregos espectadores. Johnny Depp, actor fétiche de Burton, arranca uma performance ao seu estilo, excêntrica e inusual, que não lhe vai valer o Óscar concerteza, mas que encontrará o seu cantinho nos corações dos amantes do bom cinema alternativo.

Em resumo, é um filme muito doce e sonhador, com um contraste nítido entre o cinzento do "exterior" e a explosão de fantasia e cor que reina dentro da fábrica de Wonka. Mas apenas para ser apreciado por fans de Burton (e, principalmente, pelos filhos).

O melhor: O delírio visual de Burton. Johnny Depp.

O pior: Alguma indefinição. Não será bem uma comédia, nem um drama, nem nada. Anda ali um bocado no meio...

Classificação:
7/10
(para fãs de Burton)
4/10 (para não-fãs)

3 comentários:

Sandra disse...

n sou fã incondicional de Burton, mas dos filme dele que vi gostei de tds, este n foi excepção.
Toda a caracterização do espaço em que decorre o filme é 5 estrelas, escusado será dizer que o Jonhy depp está em altas aki .

Jokas

CHV disse...

Fui ver este filme há uns 2 ou 3 meses atás...
Achei um valente desperdício! Mal empregadinhas libras, que bem me podia matar a sede com umas pints ali no pub da esquina a ver o Chelsea derrotar mais um adversário terráqueo...
Uma banalidade a moral da história! Muito bonita e sentimental, muito moralizadora e divina, a lembrar-me a minha professora Maria! Religião e Moral, sempre me deu 5... No ciclo ninguém me parava! Então a Religião e Moral...!!!!
Nem o chocolate a jorrar a toda a hora pode ser considerado factor atractivo suficiente... Saí de lá de tal forma enjoado que só consegui comer um chocolate no dia seguinte :)
Tem umas cores giras, tem uma ideia marada... Mas é apenas isso, uma ideia marada...
Não acrescenta nada à história do cinema.
Johnny Depp? Who?

Luis Monteiro disse...

Para mim é um de 4 em 5 estrelas. Realmente tem umas partes indefinidas pelo meio, que não são usuais na obra do Burton.
Já arranjei a banda sonora. Vale bem a pena...
Abraço