8 de novembro de 2005

REVIEW
Jacob's Ladder

Ano: 1990
Realizador: Adrian Lyne
Actores: Tim Robbins, Jason Alexander, Ving Rhames

Obrigado SIC Radical, por teres injectado esta pérola nas minhas veias ressequidas após um longo dia!
Esta é, para mim, uma totalmente desconhecida obra de Adrian Lyne, o realizador mais conhecido por peças como Atracção Fatal, Nove Semanas e Meia ou o mais recente Unfaithful, verdadeiros "textbooks" na arte de bem mandar umas trancadas. (só lhe faltou o Instinto Fatal no currículo para o ramalhete ser perfeito)

Um ex-militar do Vietname (interpretação soberba e alucinada de Tim Robbins) regressa a casa após uma campanha militar traumatizante. No entanto, os traumas não passam e o gajo começa a ver demónios cornudos em tudo o que é lado e a desejar, cada vez mais, morrer, pois a sua vida começa a ser insuportável com tantas visões.

Junte-se a esta sinopse uma pitada de Sixth Sense, mistura-se com o novelo argumentativo que é Total Recall com pitadas de One Flew Over The Cuckoo's Nest elevado a 10 e alguns mais que não me lembro porque a hora já vai longa. Tim Robbins, em certas cenas, faz Jack Nicholson, no referido filme, parecer um menino de coro. Imaginem o pior filme sobre insanidade mental que já viram (como já disse, a esta hora já não chego lá) e talvez cheguem perto do delírio mental de Robbins aqui. Acrescentem-lhe ainda uma boa e bem tecida teoria da conspiração, que envolve experiências químicas com soldados, e ficam com uma ligeira ideia da salganhada que se cozinhou aqui. Salganhada, é certo, mas com travo a caviar beluga.
Adrian Lyne mostra um registo desconhecido, filmando com mestria ambientes lúgubres, escuros e bafientos e capturando com perícia o total e progressivo estado de insanidade mental de Jacob (Robbins), rumo a um final surpreendente! O uso de "frames" rápidos e desfocados acentua, e de que maneira, esta impressão, ao vincar os delírios do protagonista.
Quase tudo é sugerido e muito pouco é mostrado, embora existam algumas cenas verdadeiramente nojentas, como a "viagenzinha" pelo hospício, do mais medonho que possam imaginar!

O melhor: Tim Robbins, o banho gelado que o mesmo toma a meio do filme e a referida viagem pelo hospício, com malucos a bater com a cabeça nas paredes até deitar sangue e membros humanos espalhados pelo chão.

O pior: Não ter visto o princípio.

Classificação: 8/10

Sem comentários: