12 de novembro de 2005

REVIEW
La Marche de l' Empereur

Image hosted by Photobucket.comAno: 2005
Realizador: Luc Jacquet
Actores: Os pinguins... dah!

E que tal um documentário para ser diferente? Luc Jacquet fê-lo, naquele que foi o "sleeper" do ano, arrecadando muitos e muitos dólares surpresa na incauta plateia americana, demasiado habituada a blockbusters pipoqueiros.

É como uma brisa de ar (muito) fresco que nos chega esta crónica / documentário sobre a vida do pinguim imperador e as "marchas" que o mesmo é obrigado a fazer ao longo da mesma para procriar ou ir, ciclicamente, à procura de alimento através das longuíssimas, áridas, aborrecidas e vastíssimas áreas de "deserto" gelado.

Jacquet tenta uma abordagem diferente, introduzindo um pouco de poesia no documentário, com imagens bem conseguidas e quase "coreografadas" com uma música apropriada e diálogos introspectivos e adequados.

As paisagens são longas, arrastadas e sonolentas. O filme consegue ser xunga em alguns pedaços e doce em tantos outros, mas nunca deixa que caia em desgraça toda a "queridice" destes adoráveis e fofos animais, realçando, ao longo da película, toda a sensibilidade que a espécie nutre e cultiva pelo seu semelhante, facto que, para mim, era absolutamente desconhecido.

No fim, é um documentário / poesia interessante, diferente, algo sonolento, mas que não irá desapontar todos os apreciadores dos programas do Odisseia... e mesmo alguns dos outros.

O melhor: A sensibilidade do realizador e dos próprios pinguins.

O pior: Não ver depois da meia-noite, sob o risco de se tombar no sofá.

Classificação: 6/10

Sem comentários: