5 de dezembro de 2005

REVIEW
Wedding Crashers

Image hosted by Photobucket.comAno: 2005
Realizador: David Dobkin
Actores: Owen Wilson, Vince Vaughn, Christopher Walken, Rachel McAdams

Nos interstícios da minha maratona DVD'esca, desloquei-me ao cinema do burgo mais próximo, onde ainda residia esta comédia, laureada por alguns como a mais refrescante obra do género do ano.

Na mesma, Owen Wilson e Vince Vaughn são dois advogados que passam a vida a penetrar em casamento para micarem e pinocarem as comestíveis madrinhas de casamento solteiras, em memoráveis "one-night stands". Pelo meio, muita diversão, comida e bebida à borla, graças a histórias bem inventadas.
Até que, pasme-se... no casamento do ano, evento social "per se", um deles apaixona-se perdidamente pela filha do Secretário do Tesouro (Christopher Walken), que o leva a ponderar se deve deixar a sua vida de penetra, com o outro, qual diabinho, a dizer-lhe "não faças isso!".

E agora pergunto eu. Seria uma comédia? Não, porque pouco me ri. Um drama? Muito menos, porque também não chorei. (outra coisa difícil "per se". Só chorei no Bambi e nos Aristogatos, para que conste) Um filme de aventuras? Naaa... em ambiente de casamentos? U're kidding me. O que é isto, então? Boa pergunta. Uma merda qualquer indefinida, que fica ali entalada no meio de vários géneros. Os primeiros 20 minutos são bons, os 20 seguintes xungas até mais não, depois aquece, arrefece, deprime-me, volta a aquecer, tudo isto rumo a um "happy-ending" vomitivo até mais não, que me fez cabritar as favas do jantar em plena fila H do multiplex.

Owen Wilson não é actor que se apresente, parece aquele nerd que nós teríamos vontade de espancar até à exaustão. Vince Vaughn está razoável, a fazer lembrar Jim Carrey em alguns momentos, pela força interpretativa e cómica das suas expressões faciais e corporais. Christopher Walken mal se vê e apenas Rachel McAdams empresta alguma beleza, frescura e jovialidade a um ambiente que desliza demasiado para o sobrecarregado.

O melhor: A frescura da supracitada actriz.

O pior: O carácter eminentemente xungoso deste veículo ao qual se convenciou chamar de comédia! A cena do funeral, a fugir para o mórbido.

Classificação: 4/10

1 comentário:

Nuno disse...

a cena do funeral é sem duvida o melhor momento do filme, alias o filme so tem realmente piada quando entra em cena a presonagem do will farrel. Estas comedias americanas estão cada vex mais politicamente correctas,mesmo que o tema em si não o seja. já não ha colhoes para se fazer um filme alarve do principio ao fim.