25 de março de 2006

REVIEW
Weather Man

Ano: 2005
Realizador: Gore Verbinski
Actores: Nicolas Cage, Michael Caine

Existem os meteorologistas. E existem os homens do tempo, que apenas transmitem na televisão aquilo que os meteorologistas lhes dizem. E quando se é um "mero" homem do tempo, gozado na rua, com um pai a falecer com cancro, um divórcio à porta e uma filha pré-adolescente que, por usar calças muito justas, é chamada de "pata de camelo" na escola, pela forma como se lhe vislumbra o rego, é natural que se tente remediar um bocado este quadro a toda a força.

É isso que Nicolas Cage tenta fazer neste filme. Toda a sua vida está a desmoronar-se, e tudo o que ele quer é remediar algumas das coisas que fez mal. Sempre foi um pai ausente, por isso passa algum tempo com a filha disfuncional a treinar arco e flecha (!). O pai sempre o desprezou, por isso ele passa mais tempo com o pai moribundo na esperança que este lhe dê algum crédito pelo seu esforço de remediar tudo. Sempre foi um marido distraído, por isso tenta passar mais tempo com a mulher, no verdadeiro canto do cisne antes de a perder irremediavelmente para um amigo. E sempre foi um mero homem do tempo, coisa que tenta mudar, concorrendo para um emprego numa estação de cobertura nacional. Mas, no fim, se calhar todo este esforço já vem tarde demais, pois há coisas que já não podem ser mudadas pela inevitabilidade do destino.

Nicolas Cage é um excelente actor, mas ao qual nem sempre chegam os papéis certos. No entanto, ele parece dar-se sempre bem com os papéis de falhado que se esforça, o gajo que fode tudo por ser despistado e que depois, quando tenta recuperar o que perdeu, muitas vezes já não consegue. Michael Caine é exemplar no papel de pai rígido mas, ao mesmo tempo, amolecido por uma terrível doença que lhe assina a sentença de vida.
E todo o resto do filme caminha assim, numa ténue linha entre a comédia e o drama mais profundo, francamente deprimente.
Não obstante, acaba numa nota positiva e, no fim, ficamos a pensar sobre a vida destas pessoas, que vemos frequentemente na televisão, e sobre as quais achamos que sabemos tudo, quando na realidade nada sabemos sobre elas nem sobre as tragédias pessoais que as podem assolar a qualquer momento. E para nós serão sempre meros homens do tempo...

O melhor: O esforço de Nicolas Cage, a solidez de Michael Caine, o argumento, os diálogos e a moral da história.

O pior: Certas partes do filme, demasiado deprimentes.

Classificação: 8/10

Sem comentários: