2 de abril de 2006

REVIEW
Underworld Evolution














Ano
: 2006
Realizador: Len Wiseman
Actores: Kate Beckinsale, Scott Speedman

A vampira Selene está de volta, principalmente porque deve ser bem paga e, nem os filhos nem aquele corpinho comestível sobrevivem do ar.
Vai daí, toca a fazer a sequela de um filme que revitalizou um bocado o batido tema dos vampiros e dos lobisomens, muito graças à sua excelente estética, fotografia e uma certa "coolness" artística que transpirava em todo o enredo.
Como ficou tudo morto no final do primeiro filme, tinha que se arranjar um argumento à pressão para justificar o regresso de Kate Beckinsale ao papel que trouxe para a ribalta aquele fatinho de cabedal bem justo. Assim sendo, ela e Scott Speedman (Michael Corvin) passam o filme a fugir do "pai vampiro", que quer um talismã para libertar o irmão, o "pai lobisomem" para, juntos, fazerem uma orgia de cadáveres no mundo. Ridículo, não?

E assim se passa o filme, quase todo a fugir e a tentar encontrar respostas para "Porquê que me estão a perseguir, se eu nunca fiz mal a ninguém?", cliché que já enjoa. O realizador bem tenta injectar aquele clima soturno e fotografia azulada que levou o primeiro filme ao reconhecimento geral, mas com o enredo longe do ambiente sujo e citadino do primeiro opus, tais artifícios esbatem-se na palidez do argumento e da acção, que já perdeu o efeito surpresa. Vale que, lá para o meio, Kate Beckinsale vê-se desprovida do seu fato de cabedal e entrega-se de corpo e alma a uma cena de sexo que é, no mínimo surpreendente para um filme desta estirpe.

Depois vem o inevitável "showdown" final seguido, também, do inevitável beijo que culmina um filme esquecível... (vómito)

O melhor: Algumas cenas de luta, a cena de sexo, invulgarmente explícita para um filme do género.

O pior: O brutal desgastar do conceito e o beijo parolo do final.

Classificação: 5/10

1 comentário:

Luis Monteiro disse...

Para quando a crítica do Lord of War?
Abraço