26 de maio de 2006

REVIEW
No Retreat, No Surrender

Ano: 1985
Realizador: Corey Yuen
Actores: Jean Claude Van Damme, Kurt McKinney

Olham para o poster ao lado e pensam "Pronto, mais um filme deste paneleiro que se arma em actor e que mete para a veia de vez em quando". Pois, mas este é o filme de estreia do mesmo, o filme que deu a conhecer ao mundo as inegáveis capacidades de representação do sr. Van Damme.

Na história, o pai de Jason Stillwell, dono de uma escola de karaté, tem que pagar uma dívida qualquer, senão fica sem a escola, sendo "persuadido" a fazê-lo pelo rufia de serviço, um Van Damme verde e a cheirar a leite.

O filho chega a tempo de presenciar esta cena e tenta interceder, apenas para ver o seu braço torcido como uma vinha pelo dito rufia. Zangado por ter sido humilhado daquela forma, decide tornar-se mau como as cobras e aprender karaté à séria para dar uma lição ao Van Damme. Pelo meio, conta com o seu amigo de cor, que desempenha o irritante papel do "sidekick" negro que só quer festa e manda piadas a toda a hora.
Pelo meio, a cruzada de Jason parecia ser uma missão impossível até que uma visita à campa de Bruce Lee (do qual era fã) muda tudo, pois o seu fantasma surge para lhe ensinar as mais refinadas técnicas de luta.

E é no meio deste desenlace tão xunga e ridículo que chegamos à proverbial luta final onde o puto mostra todas as suas qualidades perante um Van Damme que mais merecia era ser encavado, tal os trajes panascas que enverga e maneirismos que exibe ao longo de todo o filme.
O que mais dizer? É um clássico da xungaria kung-fu que inundou os videoclubes dos anos 80 como se da peste se tratasse...

O melhor: É tão mau e tão xunga que até parece bom!

O pior: Apesar de tudo, é muito mau e muito xunga!

Classificação: Nem sei que nota dar a esta merda...

Sem comentários: