26 de junho de 2006

REVIEW
16 Blocks

Ano: 2006
Realizador: Richard Donner
Actores: Bruce Willis, Mos Def

Bruce Willis tem aqui a hipótese de desempenhar, talvez pela enésima vez, um polícia completamente lixado pelo álcool que quer mais é paninhos quentes e a quem é designada uma missão aparentemente simples. Esta passa por acompanhar um ladrãozeco com esperanças de redenção (em se tornar padeiro (!)) a testemunhar em tribunal. O que Willis não sabe é que ele vai testemunhar contra outros polícias, ex-companheiros de Willis, acusados de corrupção e abuso de poder e outras merdas mais que nunca são muito bem explicadas.
Obviamente que estes malvados polícias não vêm com bons olhos o testemunho, pelo que passam o santo filme atrás de Willis e do estereótipo de sidekick negro que fala demais e não se sabe safar sozinho.

Desnecessário será dizer que este filme é o arquétipo do "been there, done that". Willis está demasiado alcoolizado no início do filme até para mexer o cu, mas assim que acção aquece, oh menino... o homem torna-se num monstro, um verdadeiro super-polícia de sentidos aguçados e que reagem de forma sobre-humana a uma panóplia de instintos (como calcular os passos de polícias que ainda estão 2 andares abaixo, num prédio). Quanto a Mos Def, o ladrãozeco que quer testemunhar... apenas cabe dizer que desejei, ao longo do filme todo, que alguém lhe enfiasse um tiro pelo cu acima só para o calar. Ele tem, concerteza, a voz mais irritante que já ouvi, uma espécie de pato fanhoso encavado por um poste da EDP. Absolutamente intragável.

Argumento? Ressabiado, com sabor a empadão de 2 meses. Polícia bom / polícia mau, que tenta salvar um pobre diabo que não se sabe safar. Sofrem "n" merdas, mas acabam por se safar... Não há pachorra!!! Quando vejo a classificação desta porcaria no IMDB (6.6), apercebo-me da acefalia generalizada que tomou de assalto as mentes yankees. Só podia, para lá terem aquele palhaço como presidente... Quanto a ti, Bruce Willis, mais 1 ou 2 merdas destas e tens a carreira num charco de caca!

O melhor: Twist final... mas pouco!

O pior: A voz absolutamente irritante de Mos Def. Bruce Willis, amorfo como um calhau. Os clichés a tresandar ao longo do filme. Os estereótipos do polícia à procura da redenção e do ex-parceiro, agora mau-mau. E mais uma série de coisas...

Classificação: 3/10

Sem comentários: