12 de agosto de 2006

REVIEW
Find Me Guilty

Ano: 2006
Realizador: Sidney Lumet
Actores: Vin Diesel, Annabella Sciorra

Ao que parece, este filme retrata a história verídica daquele que foi o maior julgamento civil americano da história, durante mais de 2 anos e arrastando-se penosamente nos tribunais entre testemunhas, contra-testemunhas e outras merdecas do género.
O filme debruça-se então sobre o julgamento de uma família de mafiosos, onde se inclui o nosso protagonista que, encavado pelo seu anterior advogado, que o "levou" a uma pena de 30 anos por tráfico de droga, decide defender-se sozinho de uma nova acusação, dispensando portanto a presença de qualquer ajuda legal especializada.

A piada está que, mesmo enquanto um leigo de leis, o personagem de Vin Diesel tem uma lábia do caraças, e após controlar os seus ímpetos praguejantes iniciais, arranca uma performance advogadesca digna dos melhores homens da lei, acabando por ilibar todos os réus.

Este é um filme de e para Vin Diesel. O canastrão de acção transfigura-se completamente aqui e até parece um bom actor. E é precisamente pelo facto de, habitualmente ser tão mau actor (apesar da sua presença e estampa física impressionantes para um homem de acção) que, neste filme, ele parece tão bom actor. Ou seja, o filme torna-se num must para os fans do actor.

Do resto, o que fica? É um filme um bocado pastelão, com umas valentes xaropadas enfiadas no meio das cenas de tribunais e que ajudam a arrastar um pouco mais as duas horas e tal de filme que, com jeitinho, podiam ser reduzidas nuns bons 60 minutos, tal a quantidade de caca que é enfiada pelo meio, através de desfilares ininterruptos de testemunhos e de fait-divers enfadonhos (como o colapso do mafioso no meio do tribunal).
Ou seja, a idade do realizador faz-se notar na forma como dirige o filme mas, mesmo assim, não retira mérito ao enredo e, sobretudo, aos diálogos, deveras capazes e competentes.

No entanto, é sem dúvida um filme para ver uma e uma só vez!

O melhor: Vin Diesel num papelaço. Não renunciando ao seu lado mais sabujo, arranca uma interpretação digna de aplausos.

O pior: Sidney Lumet já tem 80 anos e isso nota-se no desenrolar do filme, pastoso e arrastado em algumas partes.

Classificação: 6.5 / 10

Sem comentários: