24 de agosto de 2006

REVIEW
RV

Ano: 2006
Realizador: Barry Sonnenfeld
Actores: Robin Williams... interessam mesmo os outros?

Robin Williams é um pai de família esforçado que, por causa de vicissitudes laborais, se vê "obrigado" a levar a família numa autocaravana numas férias pelos EUA, em vez de outras prometidas ao Hawai.

E é isto... diz já muito do filme, o facto do enredo se contar em 3 linhas. Tem a espessura de uma folha de papel e o grande defeito de ter uma série de chouriços pelo meio que funcionam como grilhetas ao imenso e inacabável talento para o improviso de Robin Williams. O homem bem tenta, mas o dirigismo do realizador não o deixa mostrar mais do que uns lampejos do brilhante comediante que é (como, por exemplo, logo no início, numa imitação hilariante de Stallone).

E quando um filme precisa de recorrer a doses industriais de merda (literalmente) para fazer funcionar uma piada que já se cheirava à légua, é um péssimo prenúncio para o desenrolar do resto do filme. Vale que parte dos diálogos não estão maus de todo e vêm carregados com um cinismo e um sarcasmo tais que até fariam empalidecer o mais cínico dos sarcásticos.

A maior parte destas linhas provem da filha, mas até esta se desfaz em ponto de caramelo para com o pai esforçado no final, tudo em prol de um "happy-end" obrigatório... tão obrigatório como a minha cagada em cima dele!

O melhor: Algum humor, de tão ácido que é, faz os limões parecerem doces.

O pior: Robin Williams não improvisar, o final vomitivo, moralista e merdoso, o argumento fraquinho, as piadas repuxadas tipo a tromba da Lili Caneças.
Veredicto: Para quem tem saudades de comédia... mas sem grandes pretensões.

Classificação: 5/10

Sem comentários: