25 de agosto de 2006

REVIEW
The Exorcism of Emily Rose

Ano: 2005
Realizador: Scott Derrickson
Actores: Laura Linney, Tom Wilkinson

O Exorcismo de Emily Rose é um filme baseado em factos verídicos, mais precisamente, na história de Anneliese Michel, uma jovem alemã que sofreu o mesmo destino da protagonista. O psicólogo que a tentou tratar escreveu um livro sobre as suas experiências, livro esse que foi depois fortemente adaptado para esta obra cinéfila.

Emily Rose é uma rapariga aparentemente igual a tantas outras. Estuda, vai à catequese e entra na Faculdade. No entanto, a dada altura, é possuída, não por um, mas por seis demónios diferentes, o que dá para imaginar a rebaldaria que não iria por aquele corpo.
Desacreditada pelo que a medicina não conseguiu fazer pela filha, a perdida família chama o padre da paróquia na tentativa de executar um derradeiro exorcismo, enquanto última esperança de salvar Emily. No entanto, ela não resiste e acaba por morrer de forma brutal.

O padre é acusado de homicídio por negligência e o filme é contado em flashback, em grande parte nas mesas dos tribunais, onde assistimos às sessões que marcam o julgamento do inquieto padre, apenas desejoso de poder contar a sua versão dos factos, sob a pena de a sociedade julgar isto como mais um evento médico, e não um acto sobrenatural.
Nos interlúdios das sessões, e através dos testemunhos, assistimos à decadência gradual de Emily Rose, à medida que os demónios se vão assenhorando cada vez mais do frágil corpo dela, até ao desenlace final.

Este é um filme capaz, competente, mas que acabará por desapontar um bocado aqueles que estariam ávidos de tripas e demónios, numa reprise do Exorcista. É maioritariamente passado em tribunal, como já se disse, mas o que se perde em terror, ganha-se em substância, fruto dos sólidos diálogos, interpretações (Laura Linney, como advogada ambiciosa e o excelente Tom Wilkinson, o padre afligido pelo final catastrófico de Emily) e argumento, que pretendem suscitar nas cabeças crédulas dos espectadores um debate entre ciência e fé, com o que poderá ser explicável por uma e outra.
Destaque especial para o desempenho da protagonista que, com aqueles olhos grandes e aquele corpo frágil, consegue arrepiar o mais pintado e emprestar um dramatismo e fatalismo trágico ao triste destino que se lhe avizinha. Uma exorcizada de luxo.

Para quem gosta de filmes de terror, mas quer dar corda ao cérebro, este é um excelente meio para o fazer. Um dos "sleepers" de 2005.

O melhor: O conflito religião-ciência. A qualidade geral do enredo, dos diálogos e do filme. A exorcizada, que com aqueles olhos grandes até me arrepiou as unhas dos pés.

O pior: Os que esperam um filme de terror puro podem sair defraudados.

Classificação: 6.5/10

Sem comentários: