14 de outubro de 2006

REVIEW
Click

Ano: 2006
Realizador: Frank Coriaci
Actores: Adam Sandler, Kate Beckinsale, David Hasselhoff

Michael Newman é um arquitecto que é viciado no trabalho, não obstante os apelos da mulher (uma Kate Beckinsale boa como tudo no papel de dona de casa tesudona que anda sempre de tshirt de alças e calções curtos) para que ligue mais à família. Como não consegue controlar todos os aspectos da sua vida, Michael vai à procura da solução... e encontra-a numa loja, onde um velho excêntrico e estranho o presenteia com um comando universal... que não só controla os electrodomésticos da casa... como toda a sua vida, permitindo-lhe, inclusive, saltar partes da vida que não lhe interessam!

As complicações surgem quando o comando fixa as escolhas prévias do seu utilizador e começa a fazer "auto fast-forward", o que faz com que Michael perca alguns dos momentos mais importantes da vida...

O argumento é surpreendente, principalmente pela forma como foi posto em prática, fazendo da nossa vida um autêntico DVD com menu, onde se inclui até um "Comentário" ou um "Making Of", imagine-se. Além disso, o comando permite fazer "fast-forward", mas não "rewind"... Apenas prevê um "view mode", mas não um "edit mode". Ou seja, o que passou, passou! Engenhoso, ah?

Adam Sandler é surpreendente. E é dizer pouco. Um actor que sempre foi um atrasado mental a fazer papéis de atrasado mental está, claramente, a crescer e arranca aqui um papelão credível e sentido que me deixou de queixo caído. Faz lembrar o Jim Carrey quando começou a esforçar-se para se libertar daquele rótulo de cómico com que o etiquetaram.

Os diálogos estão realmente bons e o filme é muito suave e fácil de digerir. No entanto, por volta da hora de filme, olhamos para o argumento e pensamos "Para onde é que isto caminha agora?", porque parece que já não há mais nada para contar. Mas isto é a estratégia bem montada do realizador, e aquilo que começa como um filme de comédia desbregada muda, por esta altura, para um drama que não se previa, e que nos faz pensar bem sobre o rumo da nossa vida e sobre a vontade que temos, por vezes, de "saltar" os momentos da vida que nos são menos agradáveis.
Mas a vida é isto mesmo, é o "tudo", com os momentos altos e os momentos baixos, e é assim que deve ser apreciada, sob pena de, depois olharmos para trás e vermos que perdemos o que mais interessava...

O melhor: Adam Sandler, o humor, o drama e a lição de vida.

O pior: Lá para a hora de filme, um gajo pensa "E agora?"

Classificação: 8/10

Sem comentários: