8 de dezembro de 2006

REVIEW
Superman Returns

Ano: 2006
Realizador: Bryan Singer
Actores: Brandon Routh, Kevin Spacey

O super homem voltou! Após 6 anos em reclusão em que esteve a meditar e, provavelmente, a fantasiar com a equipa angolana de basquetebol, ele regressa para defender os fracos e oprimidos. Ao mesmo tempo, Lex Luthor, o seu arqui-inimigo, consegue chular uma velha moribunda a tirá-lo da cadeia e deixar-lhe toda a sua fortuna, fazendo do velho Lex um homem cheio de recursos para ir procurar uns afamados cristais manhosos, capazes de criar continentes e, assim, dar-lhe o poder de dominar o mundo que ele tanto quer.

Bryan Singer materializou o regresso do homem mais forte do mundo mas, às vezes, penso que mais valia ele ter ficado quieto, porque não há super homem como Christopher Reeve, e até a sua trágica e irónica morte contribui de sobremaneira para a iconografia do seu personagem. Mas Singer esforça-se, é certo, e consegue dar aquele cunho de "filme de super herói" à moda antiga, como se via nos anos oitenta. É uma estética muito particular, mas que dá ao filme um aspecto peçonhento e o torna numa coisa langonhosa de digerir pois, nos dias de hoje, já ninguém atura um gajo que resiste a tudo e que só tem o raio da kryptonite como única fraqueza. É aborrecido. Ainda por cima, olha para cima sempre que levanta vôo, talvez com medo de chocar contra algum pato ou merda do género.
É certo que é uma escolha deliberada do realizador e até da própria natureza do personagem, mas os filmes contemporâneos mais bem sucedidos na área dão-nos super heróis mais humanos e ver que quase nada atinge este senhor torna-se um bocado irritante. Ou então sou eu que estou a ficar velho...

Valha-nos Kevin Spacey, que empresta à personagem de Lex Luthor todo o seu imenso talento e o torna na personagem mais credível e apaixonada do filme.
De resto, como já disse, a maior força do filme, que é o seu aspecto deliberadamente "retro" é também a sua maior fraqueza, o que aliado ao facto de o filme demorar quase 2.30h, não ajuda muito...

O melhor: O sabor a "vintage" do filme.

O pior: O sabor a "vintage"...

Veredicto: Um filme de amanhã para um herói de ontem.

Classificação: 5.5/10

Sem comentários: