23 de janeiro de 2007

REVIEW
Chaos

Ano: 2006
Realizador: Tony Giglio
Actores: Jason Statham, Wesley Snipes

Desde Snatch que gosto de Jason Statham. Tem uma certa coolness que faz agarrar o espectador ao écran. Infelizmente, a mesma é inversamente proporcional à sua capacidade para escolher bons papéis. E aqui, ele ultrapassa-se, encarnando um detective veterano que tem que lidar aqui com um hábil assaltante de bancos (um obscuro e eclipsado Wesley Snipes, longe, longe do fulgor de Blade) que parece saber tudo sobre ele.
O seu novo parceiro, um pitareco filho de pai polícia herói, parece ser um gajo muito inteligente e tal... mas passa meio filme (para não dizer o filme todo) às aranhas.

E é assim, pela milionésima vez, que se conta a história de um vulgar heist-movie com todos os clichés típicos do género, muitas incongruências de enredo que me deixaram a coçar a cabeça e outras partes de uma previsibilidade chocante, aliadas com algumas falhas de realização gritantes (na cena da perseguição de mota, o vidro parte muito antes do polícia passar por ele), fazem deste balde de esterco uma monumental perda de tempo, que poderia ser melhor passado com algo de verdadeiramente útil, como por exemplo ver a beata do cinzeiro que não tenho a apagar-se ou ver a relva do quintal (que também não tenho) a crescer...

Desde o início que percebemos que aquilo não vai dar nada de bom e à medida que o filme avança e se arrasta penosamente pelas cavidades do escroto hollywoodesco, ficamos a pensar no desperdício de bons talentos que ali habitam e na forma como poderiam ser aproveitados para outra coisa mais jeitosinha...

O melhor: O final.

O pior: Tão previsível e estereotipado como o título do FCPorto...

Veredicto: Caca. Merda. Esterco. Cocó. Poia.

Classificação: 3/10

Sem comentários: