12 de janeiro de 2007

REVIEW
Saw III

Ano: 2006
Realizador: Darren Lynn Bousman
Actores: Tobin Bell, Shawnee Smith

Quando se esperava que já estava tudo inventado na saga Saw, o realizador dá todo um novo rumo a uma das mais alternativas trilogias do terror e sucede ao conseguir manter o espectador agarrado até ao fim, com aquela deliciosa sensação de que "cheira-me que ainda não está tudo dito".

Desta vez, o terrível Jigsaw, já quase a cair de podre graças ao incurável tumor cerebral que lhe traçou a inevitável sentença de morte, consegue raptar uma médica amorfa de um hospital para a obrigar a mais um dos seus jogos doentios, que ligará a sua vida à da incauta doutora...

De resto, o que fica deste filme é a sua implacável violência, que atinge os limites do sadismo e faz os maus do Hostel parecerem o Coro de Sto.Amaro de Oeiras. É uma peça eminentemente gore, onde o sangue jorra a partes iguais com os gritos lancinantes das desesperadas vítimas que se esgatafunham todas para lutarem pela vida que estão prestes a perder.

Por outro lado, e estando nós já habituados aos "finais surpresas" da série, posso dizer que este não desiludiu, e que é bem mais potente que o final de Saw II, deixando, inclusive, uma porta aberta para um Saw IV que, ao que parece, irá mesmo existir. Pelo meio, o filme consegue, inclusivamente, atar algumas pontas soltas dos filmes anteriores e explicar alguns detalhes sobre outra perspectiva, a que ainda não tinhamos podido assistir.

É, portanto, melhor que o segundo, pela forma mais brutal como aborda o "universo Saw", mas não consegue ser tão inteligente como o primeiro filme, muito por culpa de já ter, há muito, perdido o efeito surpresa que me fez saltar da cadeira quando vi, pela primeira vez, aquele assombroso final...

O melhor: Para quem gosta... o gore extremo do filme, o rumo diferente da história e o mérito de não desiludir os fãs da série.

O pior: Nunca mais os Saws serão tão bons como o primeiro...

Veredicto: Para sádicos!

Classificação: 7.5/10

Sem comentários: