17 de julho de 2007

REVIEW
Deja Vu

Ano: 2007
Realizador: Tony Scott
Actores: Denzel Washington, Val Kilmer, Jim Caviezel

Um agente do Dep. de Armas americano viaja no tempo para tentar impedir o assassínio de uma rapariga, relacionado com um grande atentado, e acaba apaixonado por ela.
E o que parece uma premissa vulgarucha, do estilo "been there, done that", é um filme agradável e que se deixa ver com facilidade, não obstante nunca atingir os patamares de excelência do Man of Fire, também de Tony Scott e com o bom velho Denzel. E isto deve-se, em grande parte, a uma história esticadinha até ao limite, que aqui e ali toca nos pináculos do surrealismo para conseguir levar o argumento a bom porto.

É verdade que nem tudo podem ser filmes do tipo "casos da vida", com cenas pungentes de realismo que nos deixam a pensar "Cum catano, também nos podia acontecer a nós!", mas também não precisam de ser puxados tão ao limite, nomeadamente com o uso de uma suposta tecnologia de satélite que interpola momentos temporais para permitir ver o passado em tempo real e, até, interagir com ele. Digam-me lá que não é abusar um bocado...

Mas pronto, mesmo assim, o filme torna-se credível (mais ou menos), porque o realizador sabe o que faz e Denzel Washington vai pelo filme fora em piloto automático...

O melhor: Deixa-se ver.

O pior: Não obstante a originalidade relativa... uma estranha sensação de "dejá-vu".

Classificação: 6/10

1 comentário:

Luis Monteiro disse...

Estive praticamente todo o filme na expectativa de ver quando é que a narrativa descambava para o ridículo.
Felizmente, só roçou na "ultra-ficção" lá mais para o fim.
Abraço