3 de fevereiro de 2008

REVIEW
Sweeney Todd

Ano: 2007
Realizador: Tim Burton
Actores: Johnny Depp, Helena Bonham Carter, Alan Rickman

O último filme de Tim Burton é a adaptação de um famoso musical que conta a história de Sweeney Todd, barbeiro caído em desgraça por causa de um crime que não cometeu e que, após forçado ao exílio, regressa a Londres, alguns anos depois, para engendrar o seu mefistofélico plano de vingança contra todos os que anteriormente lhe quiseram mal.

E quem melhor para dar corpo a esta personagem dorida com o mundo do que Johnny Depp, o homem da mil caras, que aparece sempre diferente diante da batuta do maestro Burton e que aqui "apenas" sabe esgrimir com mestria um sentimento ao longo de todo o filme: vingança. Os olhos dele são vingança, as palavras são vingança, os gestos clamam vingança. Nada mais o move, numa interpretação de Depp que é, toda ela, genuína em... vingança!
Mal o filme começa, tudo ali "cheira" a Burton, desde a fotografia excelente até à música de entrada, lúgubre q.b.... e Depp até começa logo a cantar, o que não é tão mau como isso pois, embora não seja nenhum Sinatra, nunca desafina nem destoa, o que também não deixa de ser surpreendente.

E aqui reside o principal problema de Sweeney Todd pois, apesar de, como é óbvio, não ser um mau filme, pois tem o cunho obrigatório de qualidade de um dos cineastas mais originais do "métier", é... um musical, o que faz que a quantidade de cantorias que se debitem por minuto acabem por arrastar inapelavelmente a narrativa, tornando-a longa e pastosa. Valha-nos que, a páginas tantas, Depp saca da sua navalha e acumula corpos atrás de corpos, somando um "body-count" de fazer inveja a muito filme de castanhada do "mestre" Norris ou Seagal, esses dois mitos vivos do cinema de acção (ou não).

Por outras palavras, o que tem de musical enfadonho e aborrecido é complementado por uma trama negrae cheia de "gore-do-tipo-tinta-Dyrup-à-la-Peter-Jackson-época-Braindead" que acaba por compensar a ida ao cinema, complementado, claro está, com o excelente leque de actores e interpretações. Não será o melhor da dupla Burton-Depp, mas não está mau de todo!

O melhor: Johnny Depp, a fotografia e o sangue.
O pior: Se não gostarem de musicais, como é o meu caso, fujam disto como o diabo da cruz...
Classificação: 6.5

Sem comentários: