10 de novembro de 2008

REVIEW
Rec

Ano: 2007
Realizador: Jaume Balagueró
Actores: Manuela Velasco, Pablo Rosso

Por favor, desviem por um momento os vossos olhos dos protuberantes e, decerto, rígidos seios que a protagonista exibe, no poster acima e foquem-nos, por momentos, no texto aqui do escriba.
Mas ficai sabendo que a dita é jornalista e só se pôs nestes preparos após uma entrevista a um quartel de bombeiros começar a correr mal pois, numa saída nocturna que a mesma (e o seu fiel cameraman) acompanhou a um velho edifício de Barcelona acaba com a dita cuja, um par de bombeiros, um polícia mandão e alguns inquilinos selados dentro do prédio pelo Centro de Controlo de Doenças local e uma epidemia que ameça transformá-los a todos em seres errantes e homicidas (ou seja, os bons velhos zombies).

Este é mais uma película a explorar o filão dos filmes na primeira pessoa, neste caso, através dos "olhos" do cameraman que segue, incansavelmente, a repórter, enquanto esta corre freneticamente escada acima e escada abaixo ao mesmo tempo que bombeiros e polícias caem que nem moscas, fruto de intimidades nada aconselháveis com zombies. E isto tudo é filmado com muito sangue, num gore grotesco e, ao mesmo tempo, retemperador para nós, os amantes do terror da "velha escola", baseado em saca-sustos, sim, mas também em muita tensão palpável e crescente que se traduz num descontrolado (até demais) movimento da câmara, rumo a um final claustrofóbico e bafiento que, embora tresande a cliché por todos os lados (pois já imaginamos como é que aquilo vai acabar) consegue satisfazer o espectador em pleno, principalmente pela capacidade de terminar o filme quando devia ser terminado, nem um instante depois, nem um instante antes... e quase que conseguia acabar esta review sem usar um único ponto final.

O melhor: Tem adrenalina. Está muito bem feito. Tem sangue e artérias cortadas. É curto. Saca bons e bem conseguidos sustos. Não reinventa a roda, mas é tremendamente eficaz.
O pior: Está carregado de clichés (o que não é necessariamente mau).
Classificação: 7.5

Sem comentários: