2 de setembro de 2010

REVIEW
Salt

Ano: 2010
Realizador: Phillip Noyce
Actores: Angelina Jolie, Liev Schrieber

É sempre bom ver a boa Angelina a saltitar pelo écran que nem uma coelhinha da Energizer, enquanto pinta o cabelo de preto com um petróleo manhoso e finge ser uma agente secreta russa e americana ao mesmo tempo.

Já não é tão bom ver que, passados trinta minutos, um filme que se chama Salt tem muito pouca pimenta e avança rumo a um final que cheira a podre à légua, de tão denunciado e convencional que é.

Ou seja, o filme perde-se na sua própria trama imberbe e está irremediavelmente entalado num nicho espacio-temporal que eu julgava já não existir, que é o dos filmes da guerra fria, onde os soviéticos são sempre os maus com um sotaque estranho, planos rudes, primitivos e abrutalhados para destruir a América e um copo de vodka numa mão, sempre pronto a acompanhar qualquer resquício de festividade que se avizinhe. Ou seja, mais estereotipado, impossível.

Cabe, como sempre, aos americanos, os polícias do mundo, os gajos tão bons e sábios que até metem nojo, desmantelar esta terrível conspiração....

Vocês ainda não fugiram do filme? Olhem que a Angelina só por si não justifica a ida ao cinema...tanto mais que nem sequer mostra uma centelha de carne!


O melhor: A presença da Angelina, agradável à vista.
O pior: É mais um filme-template sobre a guerra fria.
Classificação: 4

Sem comentários: